A ONG Asplande convida os estudantes franceses a apoiarem o projeto “Mulheres do Bem”

A ONG brasileira Asplande recebe todo ano estudantes franceses que fazem estágios em diversos setores (ciências sociais, contabilidade, marketing…) de maneira que eles podem contribuir com o desenvolvimento da economia local, social e solidaria, ao mesmo tempo em que tem a oportunidade de mergulhar na realidade da vida carioca. Pauline Akouvi e Juliette Henry viveram esta experiência.

JPEG
O projeto "Mulheres do Bem" é mantido pela ONG Asplande e pela empresa Mercatto

Asplande

Asplande é uma ONG brasileira baseada no Rio de Janeiro. O seu objetivo é de ajudar mulheres empreendedoras de baixa renda, das favelas e periferias do Rio, a desenvolverem seus projetos. Criada em 1992, a ONG funciona em três frentes:
1. Treinamento das empreendedoras, com cursos de administração e desenvolvimento de empresas.
2. Compartilhamento de uma rede, com reuniões mensais e participação em feiras e exposições.
3. Acompanhamento personalizado e individual junto de cada empreendedora.

A Asplande aposta na importância e na força de uma rede de contatos e desenvolve parcerias com diversas empresas.

Mulheres do Bem

Mulheres do Bem é um projeto informal que reúne cerca de cinquenta mulheres do Rio (55, para ser mais exato). A maioria delas tem uma historia de vida complicada, e elas decidiram se juntar por causa da vontade que tinham de desenvolver um empreendimento. Os projetos de empreendedorismo que as motivam são muitos: artesanato, gastronomia, moda, audiovisual e beleza. São projetos pequenos, que precisam de microfinanciamento e de apoio logístico para cobrir lacunas durante a fase inicial. Uma associação e uma empresa fornecem esses complementos indispensáveis.

O projeto na realidade é apoiado pela ONG Asplande, que dá o treinamento e o apoio logístico (contabilidade, administração…) e pela Mercatto, uma empresa de moda brasileira, que consegue o financiamento (micro financiamentos) através do sistema de crowdfunding. O envolvimento das empresas é fundamental para esses projetos.

O grupo formado desta forma tem uma dinâmica criativa muito positiva. Para ter mais visibilidade, foi criada uma camiseta especial, que está sendo vendida em lojas e pela internet. Todo o valor arrecadado é integralmente revertido para o projeto “Mulheres do Bem”, para estimular as mulheres empreendedoras que fazem parte da rede Asplande.

E o projeto não para por aí. A Mercatto criou, junto com a Asplande e as ONGs Atados e Coorte, um financiamento coletivo para aumentar o numero de pessoas que desejam participar do desenvolvimento dessas empresas. Os trajetos e as historias dessas mulheres empreendedoras são compartilhados nas redes sociais do grupo e todos são convidados a participar do crowdfunding no site Benfeitoria (https://benfeitoria.com/mulheresdobem), uma plataforma de mobilização de recursos para projetos de impacto sócio econômicos e culturais.

Duas estudantes francesas, Pauline Akouvi e Juliette Henry, responderam ao chamado da Asplande

A Asplande tem uma ligação forte com a França, acolhendo todo ano novos estagiários franceses, estudantes de diversas áreas (ciências sociais, contabilidade, marketing…) que desejam viver uma experiência única, oferecendo a energia que eles têm e contribuindo com o desenvolvimento da economia local, social e solidaria, mergulhando na realidade da vida carioca. O retorno vem em dobro, tanto para as mulheres que dirigem as empresas, que se aproveitam os conhecimentos dos estudantes (estruturação de planos de negócios, controle de fluxo de caixa...), quanto para os estudantes, que estão em contato com uma realidade concreta e podem colocar em pratica as bases da economia.

JPEG
Juliette Henry acompanhou o projeto "Mulheres do Bem" durante o seu estagio na Asplande

Em setembro de 2016, Pauline Akouvi falou sobre a sua experiência na ONG Asplande como parte de nossa série mensal “Os Franceses do Rio”.

JPEG
Pauline Akouvi, durante o seu estagio na ONG Asplande

Fonte do artigo : blog March Bloch 2022, oferecido por Pauline Akouvi

publié le 22/12/2016

haut de la page