A “parioca” Camille Bertault

A compositora francesa esteve no CIEP 449, liceu bilíngue de Niterói, onde cantou, conversou e improvisou com os alunos

Ela é apaixonada por música brasileira, a ponto de ter usado por alguns anos os cabelos curtinhos, inspirando-se do penteado de sua cantora preferida, Elis Regina. Também gosta de Nana Caymmi, João Bosco e Chico Buarque. E sua música favorita é Inútil Paisagem, de outro mestre da MPB, Tom Jobim.

Parisiense “da gema”, a cantora Camille Bertault está no Brasil pela 3ª vez em três meses, para uma série de shows nas unidades do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), terminada na sexta-feira passada, 14, com uma memorável apresentação carioca ao lado de Ed Motta, com destaque para as versões de To Her Ladyship (John Coltrane) e... Inútil Paisagem.

Camille, 31 anos, tornou-se conhecida do público brasileiro graças aos vídeos publicados em sua página no Facebook, nos quais interpreta clássicos do jazz e da MPB. Com sua versátil voz, ora reproduz complicadas linhas de saxofone em uma velocidade frenética, ora empresta doçura a canções suaves.

Na 3ª feira passada, 17, Camille esteve a convite no Lycée Bilingue France-Brésil, em Niterói. No auditório do colégio, conversou com a plateia – em português e em francês – e cantou algumas músicas de seu repertório, acompanhada de alguns alunos, que tocavam instrumentos fabricados em material reciclado.

A interação de artista e público já era boa e ficou ainda mais intensa quando cantaram juntos “Je ne veux pas travailler” (Pink Martini) e quando Camille improvisou uma canção de blues em cima de uma base de funk, tocada pelos alunos.
Ao fim do bate-papo e da apresentação, Camille pegou a barca de volta para o Rio, onde tinha um compromisso inadiável. “Com algum músico?”, perguntamos. “Não, com a praia! Tem dias que quero ir e não consigo, de hoje não passa”, respondeu.

Nascida em Paris e apaixonada pelo Rio de Janeiro, Camille Bertault é uma verdadeira “parioca”, que vem ajudando na construção dessa intensa troca cultural que une há séculos as duas cidades.

JPEG

JPEG

JPEG

JPEG

publié le 27/04/2018

haut de la page