Café Científico « Nossos ancestrais eram mesmo gauleses ? - A França do século XXI frente a tentação de reescrever sua narrativa nacional »

Sexta-feira dia 18 de agosto às 19hs, o Professor francês Jean-Yves Mollier apresenta os resultados de sua pesquisa sobre ? « Nossos ancestrais eram mesmo gauleses ? - A França do século XXI frente a tentação de reescrever sua narrativa nacional », durante um Café Científico na Midiateca do Consulado geral da França no Rio de Janeiro. Após a conferencia haverá um debate e um coquetel.

JPEG

Durante o século19, a França alimentou amplamente uma ideia de que seus antepassados eram Gauleses de barba loura e olhos azuis, criando assim uma historia romanceada para contar as origens da nação. Essa historia, ensinada tanto na França continental quanto em suas colônias a partir de 1870 - e à qual o famoso historiador Ernest Lavisse dedicou grande parte de sua vida - passou para o século 20 através das historias em quadrinhos de Asterix, difundindo no mundo inteiro a imagem dos bravos guerreiros que lutaram orgulhosamente contra o avanço dos romanos. O “Milênio dos Capeto”, celebrado na França em 1987, festejou uma historia também carregada de fantasia, baseada na subida ao trono de Hugo Capeto, o duque dos Francos que se tornou o primeiro “Rei Capeto”. Nas comemorações viu-se que o povo continua a apreciar as historias bem romanceadas.

Embora a arqueologia tenha alcançado grande progresso e o estudo da historia tenham se desenvolvido muito, destruindo lendas antigas e desmontando mitos, os povos continuam tendo a necessidade de ter raízes e de enaltecer heróis. Sabemos, contudo, que muitos crimes e violências foram cometidos em nome do nacionalismo, desde meados do século 19. As três guerras entre a França e a Alemanha - em 1870, de 1914 a 1918 e de 1939 a 1945 -, além das guerras dos Balcãs, de tendência genocida no fim do século 20 e os enfrentamentos mais recentes entre a Rússia e a Ucrânia, ilustram de modo quase caricato os perigos que envolvem as paixões nacionalistas. É importante lembrarmos, entretanto, que mesmo na França dos tempos atuais, relativamente tranquila, continua a existir o risco e a tentação de uma ideia nacional única e aceita por todos. Neste Café Científico, vamos procurar compreender melhor esse desejo de conhecermos nossas raízes, que podem fazer parte de um imaginário coletivo, simbolizado pela imagem de Asterix, o Gaulês.

publié le 07/08/2017

haut de la page