Diálogo com a ANCINE no RJ

Organizado pelo Congresso Brasileiro de Cinema (CBC) em parceria com o serviço audiovisual da Embaixada da França, o seminário Diálogo com a ANCINE sobre mecanismos de fomento do audiovisual brasileiro reunirá dirigentes da ANCINE, do CBC, profissionais do setor, representantes da Embaixada da França e ex-funcionários do CNC (Centre national du cinéma et de l’image animée) para discutir mecanismos de fomento ao setor audiovisual na França e no Brasil. O objetivo é promover o debate, discutir políticas públicas para o segmento e utilizar a referência do CNC como inspiração para o mercado brasileiro.

JPEG

Data e local
O evento vai acontecer dia 5 de setembro de 2017 no espaço cultural A MAISON do Consulado da França no Rio, que se situa na Avenida Presidente Antônio Carlos, 58/11º andar - Centro.

Evento gratuito, aberto ao público e sujeito a lotação (capacidade da sala 120 pessoas)

Programação

10h - 12h30: Apresentação "Fomento ao setor audiovisual na França: mecanismos e lógicas" por Emmanuel Rufi assessor de imprensa e comunicação do Consulado da França no Rio de Janeiro e ex-funcionário do CNC (Centre national du cinéma et de l’image animée). Moderação de Rojer Madruga, Presidente do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC).

12h30 – 14h30: Intervalo para almoço

14h30 - 17h: Mesa Redonda "Diálogo com a ANCINE sobre mecanismos de fomento do audiovisual brasileiro” com Débora Ivanov, Diretora-Presidente da Agência Nacional de Cinema (ANCINE), Raphaël Ceriez, Adido Audiovisual da Embaixada da França no Brasil, André Klotzel, diretor de cinema e titular do Comitê Gestor do FSA (Fundo Setorial do Audiovisual). Moderação de Carolina Paiva, Vice-presidente do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC) e titular do Conselho Superior de Cinema.

JPEG

Sobre as instituições

Congresso Brasileiro de Cinema (CBC)
O Congresso Brasileiro de Cinema é uma associação civil fundada em 2000, que agrega aproximadamente 70 entidades representativas do cinema e audiovisual brasileiros. O primeiro Congresso do Cinema Nacional aconteceu em 1952, como desdobramento de outros sete congressos anteriores, com objetivo de discutir políticas públicas e negócios para o setor. O resultado desses congressos foi a criação dos principais marcos regulatórios do setor, diversos mecanismos de fomento e importantes órgãos federais como GEICINE em 1961, INC em 1966, EMBRAFILME em 1969, CONCINE em 1976, Lei do Audiovisual em 1993, Subcomissão de Cinema do Senado Federal em 1999, a ANCINE em 2001 e finalmente, a Lei da TV Paga em 2011.

Serviço Audiovisual da Embaixada da França
O Serviço Audiovisual da Embaixada da França no Brasil tem como missão promover a apoiar a indústria audiovisual criativa francesa (cinema, TV, rádio, games, conteúdo para web) no exterior, facilitar as trocas e a cooperação entre a França e o Brasil e encorajar iniciativas inovadoras e estruturantes para o setor.
Site: cinefrance.com.br | Newsletter: MEDIACINE | Facebook: Cinefrance | Twitter: @cinemafrances

Agência Nacional do Cinema (ANCINE)
Criada em 2001, a ANCINE – Agência Nacional do Cinema é uma agência reguladora que tem como atribuições o fomento, a regulação e a fiscalização do mercado do cinema e do audiovisual no Brasil. Encerrado o ciclo de sua implementação e consolidação, a ANCINE enfrenta agora o desafio de aprimorar seus instrumentos regulatórios, atuando em todos os elos da cadeia produtiva do setor, incentivando o investimento privado, para que mais produtos audiovisuais nacionais e independentes sejam vistos por um número cada vez maior de brasileiros.

Centre national du cinéma et de l’image animée (CNC)
O CNC é uma instituição pública administrativa, ligada ao Ministério da Cultura, que tem missão administrar a política da França nas áreas de cinema e outras artes e indústrias da imagem animada, como o audiovisual e as multimídias (vídeo game). As missões do CNC: Aderir, Regular, Promover, Divulgar, Cooperar, Negociar, Proteger.

Biografias

Emmanuel Rufi, assessor de imprensa e comunicação do Consulado da França, ex-funcionário do CNC
Emmanuel Rufi é assessor de imprensa e comunicação do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro. Na França, ele trabalhou no CNC onde era encarregado dos financiamentos na direção financeira e jurídica da instituição. Também trabalhou na segunda maior operadora de telecomunicação francesa, SFR, na época em que a empresa lançava seu serviço Vod “Club Vidéo SFR” e num fundo de investimento especializado em audiovisual SOFICINEMA.
Emmanuel escreve artigos econômicos sobre as indústrias criativas no mundo para a revista online INAGLOBAL do Institut National de l’Audiovisuel (INA) e desenvolve ocasionalmente consultorias para empresas da área audiovisual.

Debora Ivanov, Diretora-Presidente da ANCINE
Debora Ivanov é advogada e produtora de cinema e televisão. Sua trajetória inclui a realização de mais de 60 obras audiovisuais - entre curtas, médias e longas-metragens, telefilmes e séries para televisão - projetos que participaram dos mais importantes festivais nacionais e internacionais, acumulando mais de 200 prêmios e conquistando as maiores bilheterias do cinema nacional nos anos de 2012 e 2014.
Anteriormente, foi Diretora Executiva do Sindicato da Indústria do Audiovisual do Estado de São Paulo - SIAESP, filiado à FIESP, por 20 anos. Foi titular do Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual e atualmente, compõe a diretora-presidente em exercício da ANCINE - Agência Nacional de Cinema.

André Klotzel, diretor de cinema e titular do Comitê Gestor do FSA
André Klotzel é cineasta, roteirita, montador, diretor de fotografia e proprietário da produtora Brás Filmes. Formado em Cinema pela ECA-USP, é considerado um dos mais premiados cineastas do Brasil. Em 1985, dirige seu primeiro longa, A Marvada Carne. O filme venceu 11 prêmios no Festival de Gramado e participou de mais de 20 festivais internacionais – incluindo a Semana da Crítica do Festival de Cannes – e levou 1,2 milhão de espectadores aos cinemas no Brasil. Em 1993, André filma seu segundo longa, Capitalismo Selvagem, exibido em sete festivais internacionais. Em 2001, ele lança Memórias Póstumas de Bráz Cubas, baseado em Machado de Assis, vencedor de cinco prêmios em Gramado e exibido em 11 festivais internacionais, entre eles o de Berlim. Para a TV, André dirigiu três episódios da série Brasil+500 – Mostra do Redescobrimento (2000), para o canal GNT, entre outros.

Raphaël Ceriez, Adido Audiovisual da Embaixada da França no Brasil

Raphaël Ceriez, que já havia ocupado o cargo de Adido Científico no Consulado da França no Rio de Janeiro em 2000, também participou da elaboração dos primeiros dispositivos de redução de imposto desenvolvidos pelo CNC, além de missões à frente das direções financeira e cinematográfica da instituição, antes de assumir seu cargo atual de Adido Audiovisual do Consulado da França, em setembro do ano passado.

publié le 31/08/2017

haut de la page