Fórum de Paris sobre a Paz - 1ª edição de 11 a 13 de novembro de 2018

Paris sediará em novembro, no Grande Halle de La Villette, a primeira edição do Fórum de Paris sobre a Paz.

Por iniciativa do Presidente da França, Emmanuel Macron, Paris sediará em novembro, no Grande Halle de La Villette, a primeira edição do Fórum de Paris sobre a Paz. Mais de 100 chefes de Estado e de governo, dentre os quais o presidente Michel Temer, foram convidados para participarem da abertura oficial dia 11, data escolhida, nesta primeira edição, por ocasião das celebrações do Centenário do Armistício da 1ª Guerra Mundial.

A iniciativa ilustra a importância que a França atribui ao multilateralismo. O Fórum visa a revigorar a cooperação internacional e a melhorar a governança mundial em áreas como: paz e segurança, meio ambiente, desenvolvimento, novas tecnologias e economia inclusiva. Outro objetivo é promover debates sobre propostas de soluções concretas aos problemas atuais (mudança climática, migrações, gestão de dados, etc.).

O Fórum reunirá atores da governança mundial (líderes políticos, dirigentes de organizações internacionais, organizações não-governamentais, empresas, pesquisadores) e lideranças de projetos nessas áreas, em todo o mundo, inclusive brasileiros, como o projeto do Instituto Igarapé, sobre paz e segurança, e o projeto Youth Climate Leaders, sobre o meio ambiente.

A participação no Fórum será uma ocasião de se conhecer mais de 100 projetos internacionais, bem como as soluções para as questões contemporãneas da governança mundial.

“É certo que foi nos erros da governança mundial e no enfraquecimento das democracias que a paz, caramente adquirida em 1918, se enfraqueceu na década de 30. Essa é a razão pela qual tomei a iniciativa de receber em Paris, para as cerimônias do 11 de novembro, chefes de Estado e de governo na abertura do primeiro Fórum de Paris sobre a Paz. Iremos fortalecer nossa ação coletiva, associando países e organizações internacionais, a ONU à frente, com a sociedade civil: as ONGs, as empresas, os sindicatos, os experts, os intelectuais e os grupos religiosos. A governança internacional deve ser concretamente expressa e cada cidadão pode participar. Essa refundação supõe precisamente esse momento de reflexão, esse salto comum, o que, espero, conseguiremos dar dia 11 de novembro em Paris”, afirmou o presidente Macron.

JPEG

(Conteúdo originalmente publicado no site da Embaixada da França no Brasil)

publié le 16/10/2018

haut de la page