Meus estudos na França – Outubro 2017

Uma vez por mês, apresentamos um breve encontro com brasileiros que estudaram na França, vindos do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e do Espirito Santo. Algumas perguntas, sempre as mesmas, nos permitem saber mais da experiência de quem saiu daqui para ir estudar nas universidades francesas.

JPEG

" Minha estadia na França definiu minha carreira aqui no Brasil. Foi da experiência e formação que tive por lá, que permitiram o desenvolvimento do que faço hoje aqui no Brasil."

Ana Lúcia Brunialti Godard tem 50 anos, ela estudou na Université Paris IV – Pierre et Marie Curie e em seguida foi convidada para fazer um Mestrado (DEA) e um Doutorado em Genética Humana no Instituto Pasteur de Paris.

Cidade de origem: Mogi Mirim (SP)

Cidade de estudos na França: Paris

Por que você escolheu estudar na França?
A escolha pela França, num primeiro momento foi ocasional. Depois de formada fui trabalhar numa multinacional. Na época tínhamos muito contato com uma universidade em São Paulo a qual mantinha colaboração com um pesquisador francês. Fui convidada a passar alguns meses com este pesquisador na França para realizar um treinamento. Após algum tempo por lá fui convidada a ficar e realizar meus estudos (Mestrado e Doutorado) em Genética Humana.

Qual foi a primeira impressão que vocês tiveram, ao chegar à França?
Minha primeira impressão da França, ou melhor, de Paris foi de que eu estava na cidade mais linda do mundo. E esta impressão só se confirmou à medida que o tempo passou. Aliada a sua beleza, Paris me trouxe a impressão de liberdade, foram meus primeiros passos da minha vida de adulto. A partir do dia que cheguei a Paris passei a ter o comando total da minha vida e das minhas decisões.

Qual a sua maior lembrança da França?
Minha maior lembrança de Paris é da cidade propriamente dita, o cotidiano que tinha por lá, os amigos que fiz e que guardo alguns até hoje, o laboratório onde trabalhava. Lembranças boas e que carrego para sempre.

Hoje, qual o seu vínculo com a França?

Hoje meu vínculo é familiar. Casei com um francês e tivemos dois filhos. Assim, mantenho vínculo com este país que aprendi a amar e que considero um pouco meu também.

Qual a sua atividade profissional?
Sou professora e pesquisadora em Genética na Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG.

No quê sua estadia na França mudou sua vida?
Minha estadia na França definiu minha carreira aqui no Brasil. Foi da experiência e formação que tive por lá, que permitiram o desenvolvimento do que faço hoje aqui no Brasil.

Três palavras para resumir sua experiência lá?
Amadurecimento, crescimento pessoal e conquista.

Três palavras para resumir o país?
Pleno, grandioso e mágico.

publié le 27/10/2017

haut de la page