Meus estudos na França - março 2017

Uma vez por mês, apresentamos brasileiros que estudaram na França. Algumas perguntas, sempre as mesmas, nos permitem saber um pouco mais sobre a experiência de ir estudar em universidades francesas.

Miqueli Michetti : "Estudar na França é: "Desafio, realização, joie de vivre".

JPEG

Miqueli tem 34 anos. Realizou um estágio doutoral (sanduíche) na área de Sociologia na École des Hautes Études em Sciences Sociales (EHESS) entre maio de 2009 e maio de 2010.

Cidade de origem: Itapeva (SP)
Cidades de estudos na França: Paris

Por que você escolheu estudar na França?
O principal motivo foi a realização de pesquisas de campo para a tese de doutorado. Cruzando a sociologia da cultura com a sociologia econômica, a pesquisa se debruçou sobre a construção da “moda brasileira” como um discurso construído em termos globais e Paris era um locus privilegiado da construção de tal discurso. Acompanhei várias estações (saisons) de moda na cidade, focando especialmente na presença brasileira em feiras e salões do setor.

A excelência da EHESS, bem como a estrutura de bibliotecas da cidade, foram outras razões da escolha.

Qual foi sua primeira impressão ao chegar à França?
Tive a sensação de estar em um centro revogado do mundo, com as marcas do afã universalista do século XIX e os traços de um certo cosmopolitismo de que os parisienses se orgulham tanto. Pareceu-me um lugar acessível em sua superfície, mas protegido por portas que não se abrem com chaves, mas com senhas... E, claro, o arrebatamento com a beleza da cidade!

Qual a sua maior lembrança da França?
A vida subterrânea na BNF (Bibliothèque Nationale de France) é inesquecível! Mas acho que me lembro mais do que sinto mais falta: dos parques, das ruas, das comidas (ah, as tartelettes!), dos vinhos, dos piqueniques, das longas noites de verão, de correr no inverno... E lembro com muita saudade das pessoas com quem vivi tudo isso.

Hoje, qual o seu vínculo com a França?
Mantive poucos vínculos com a França nos últimos anos. Não visito o país desde 2011. No entanto, por coincidência, acabo de começar um projeto profissional que tem Paris como destino.

Qual a sua atividade profissional?
Sou professora e pesquisadora na área de Sociologia.

No quê sua estadia na França mudou sua vida?
A experiência na França enriqueceu minha formação acadêmica, cultural e linguística e me trouxe valiosos amigos para a vida. Viver o lado mais prosaico das coisas, como a maneira como se come, se bebe, se veste, se aproveita as férias e se usa a cidade também foi um aprendizado fascinante que guardo comigo.

Três palavras para resumir sua experiência lá?
Desafio, realização, joie de vivre.

Três palavras para resumir o país?
Não sou capaz de resumir o país em três palavras...

publié le 07/04/2017

haut de la page