Presença francesa no Seminário internacional: “A imprensa da belle époque” na Casa de Rui Barbosa

De 15 a 17 de agosto, acontece o seminário internacional: « A imprensa da belle époque », organizado pela Fundação Casa de Rui Barbosa e o grupo de pesquisa « Imprensa e circulação de ideias: o papel dos periódicos nos séculos XIX e XX». Este seminário reunirá especialistas do Brasil, da França e do Reino-Unido, para falar sobre este período único da Historia.

JPEG

O Consulado Geral da França no Rio de Janeiro convidou o pesquisador francês Jean-Yves Mollier, professor emérito de historia contemporânea na Universidade de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines. Três outros pesquisadores de universidades francesas participarão do seminário, entre eles Dominique Kalifa, que o organizou junto com Tania de Luca (UNESP) e Isabel Lustosa (Fundação Casa de Rui Barbosa).

O evento será no auditório da Casa de Rui Barbosa e será aberto ao publico, gratuito, sem inscrição prévia e terá tradução simultânea.

Agenda de participação dos professores franceses no seminário:

Quinta-feira, 15 de agosto:
- 10h: Dominique Kalifa em « A Belle Époque, uma categoria viajante ».
- 11h: Mélodie Simard-Houde em « O céu e a imprensa da Belle Époque: Santos-Dumont, o aviador brasileiro em Paris »

Sexta-feira, 16 de agosto:
- 10h: Jean-Yves Mollier em « O dinheiro na imprensa durante a Belle Époque »
- 11h: Emmanuelle Retaillaud em « Os anos 1900 em Paris, um triunfo de aparências? »

Veja o programa completo do seminário no site da Casa de Rui Barbosa: http://www.casaruibarbosa.gov.br/interna.php?ID_S=9&ID_M=3907

Biografias dos quatro pesquisadores franceses que participam do seminário:

Dominique Kalifa é professor de historia contemporânea na Universidade Paris 1 Panthéon-Sorbonne, onde dirige o Centro de historia do século XIX, e membro do Instituto Universitário da França. Publicou doze obras sobre a historia do crime, da justiça e da cultura de massas, entre os quais podemos citar L’Encre et le sang (Fayard 1995), Naissance de la Police privée (Plon 2000), La culture de masse en France (La Découverte 2001), Crime et culture au XIXe siècle (Perrin 2005), Biribi. Les bagnes militaires de l’armée française (Perrin 2009). Publicou ainda recentemente La Véritable histoire de la belle époque (Fayard 2017), com o qual ganhou o prêmio Eugène Colas da Academia Francesa. Visita o Brasil todo ano, desde 2009.

Jean-Yves Mollier, professor emérito de história contemporânea na universidade de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines (França), dirigiu durante anos o Centro de historia cultural das sociedades contemporâneas, em sua universidade. Doutor em Historia (Letras e ciências humanas, universidade Paris I,1984) e Doutor em Literatura (universidade Paris 3, 1978), ele publicou vários livros, dos quais diversos foram traduzidos para o português do Brasil (O Dinheiro e as Letras (Edusp, 2010) O Camelo, figura emblemática da comunicação (Edusp, 2009) A Leitura e seu Publico no Mundo Contemporâneo (Autentica, 2008) e Edição, Imprensa e Poder na França no século XX (Fapesp/Edusp, 2015). Junto com Marcia Abreu (universidade de Campinas), dirigiu o programa «Circulação transatlântica de impressos» entre a França, o Brasil, a Inglaterra e Portugal, além de trabalhar frequentemente com as universidades de São Paulo (USP), Campinas (Unicamp), Belo Horizonte (UFMG) e Rio de Janeiro (UFF et UFRJ, Casa de Rui Barbosa, etc.)

Mélodie Simard-Houde se dedica à cultura midiática, à expressão poética e jornalística, ao intercambio entre a imprensa e a literatura, e a historia do imaginário. Terminou recentemente um estagio pós-doutoral (financiado pelo Conselho de pesquisas em ciências humanas do Canadá) no Centro de historia do século XIX da Universidade Paris 1 Panthéon-Sorbonne. Sustentou em 2015 uma tese em cotutela entre a Universidade Laval (Québec- Canada) e a Universidade de Montpellier 3 (França). Sua tese de doutorado será publicada em breve, sob o titulo “Le reporter et ses fictions. Poétique historique d’un imaginaire” pela editora Presses universitaires de Limoges.

Emmanuelle Retaillaud é uma antiga aluna da Escola Normal Superior (Ulm-Sèvres – França), Professora de Historia, Professora Associada da Universidade François Rabelais de Tours (França) e Professora da IEP (Instituto de Estudos Políticos) de Paris. Seus trabalhos tratam principalmente da historia das transgressões, das sexualidades e das identidades de gênero. Publicou Les Paradis perdus, drogues et usages de drogues dans la France de l’entre-deux-guerres (PUR, 2009) e Mireille Havet, l’enfant terrible (Grasset, 2008).

publié le 07/08/2017

haut de la page