Renée de Carvalho, uma vida de lutas

Engajada na resistência francesa contra o nazismo e na luta contra a ditadura militar brasileira, a militante política francesa faleceu 4ª feira, 12 de setembro, no Rio de Janeiro.

Renée de Carvalho, francesa de Marselha, dedicou sua vida à luta por um mundo mais justo. Filha de pais comunistas, desde muito cedo, aos 16 anos, em 1941, juntou-se à resistência francesa contra a ocupação nazista e o governo de Vichy.

No ano seguinte, casou-se com o brasileiro Apolônio de Carvalho. De formação militar, Apolônio era filiado ao Partido Comunista e tornou-se oficial do Exército Republicano Espanhol e comandante da FTP (Francs-Tireurs et Partisans), em Marselha.

Ao fim da guerra, o casal instalou-se no Brasil, juntamente com seus dois filhos, René-Louis e Raul. No país, lutaram juntos contra a ditadura militar, que no final da década de 60 prendeu e torturou Apolônio e os filhos. Nesse período, Renée entrou em uma sofrida maratona, visitando e dando assistência ao marido e aos filhos em três prisões diferentes.

JPEG

Em 1972, com todos liberados da prisão, mudaram-se para Paris. Só retornaram ao Brasil após a decretação da anistia geral e irrestrita, em 1979. Por aqui, participaram da fundação do Partido dos Trabalhadores, em 1980, e engajaram-se nas lutas democráticas, como a campanha das “Diretas Já”, em 1984.

Valente e carinhosa, apesar das dificuldades pelas quais passou, como o falecimento de Apolônio, em 2005, Renée, com sua voz tranquila, sempre transmitiu otimismo e esperança a todos os que a procuravam. Em 2012, lançou sua autobiografia “Renée France de Carvalho – Uma vida de lutas”, relatando sua história de resistência democrática.

Na noite de 12 de setembro de 2018, 4ª feira, a guerreira de duas pátrias deu seu último suspiro, no Rio de Janeiro, aos 93 anos. No velório, que contou com a presença do Cônsul-Geral Adjunto da França, Jean-François Laborie, seu filho Raul a definiu em poucas palavras: “Mais do que nos lembrarmos de todas as lutas nas quais se engajou, é preciso ressaltar que Renée era uma pessoa adorável e de grande coração”.

JPEG
Renée e Apolônio

publié le 14/09/2018

haut de la page