Visita do escritor Jean-Christophe Rufin ao Rio de Janeiro

Jean-Christophe Rufin foi eleito para ocupar a cadeira nº 13 de correspondente estrangeiro da Academia Brasileira de Letras, sucedendo a Jean d’Ormesson.

O famoso escritor francês Jean-Christophe Rufin, vencedor do prêmio Goncourt em 2001 com o romance histórico Vermelho Brasil, esteve no Rio de Janeiro na semana passada, a convite do “Bureau du Livre” do Instituto Francês no Brasil.

Ele foi recebido, dia 30 de maio, pela Academia Brasileira de Letras (ABL) para ocupar a cadeira nº 13 de correspondente estrangeiro, sucedendo a Jean d’Ormesson.

JPEG
Jean-Christophe Rufin e Alberto Mussa na livraria da Travessa

Na sexta-feira, 31 de maio, Rufin participou de um bate-papo com o escritor carioca Alberto Mussa, sobre o processo de criação literária, fazendo um cruzamento entre a história e a antropologia. O encontro foi organizado pelo Instituto Francês no Brasil e pela Livraria da Travessa do Leblon.

Ele também esteve em São Paulo, na segunda-feira, 27 de maio, por ocasião da primeira edição do prêmio Choix Goncourt du Brésil, no qual foi nomeado presidente honorário do júri.

JPEG

Jean-Christophe Rufin, doutor e diplomata, ex-adido cultural em Recife, e antigo embaixador da França no Senegal e na Gâmbia, se dedica hoje em dia integralmente à escrita. Durante uma entrevista à GloboNews, o autor explicou que ele escreve para achar um mundo de luz, de energia e de prazer. Para ele, a atividade literária é uma prática otimista, que está sempre ancorada na realidade.

PNG

Jean-Christophe Rufin, em entrevista ao jornalista Marcelo Lins, da GloboNews

publié le 06/06/2019

haut de la page